A traição é das bombas mais devastadoras que pode cair no seio de um casal.

Mas o que é trair? É só envolver-se fisicamente com outra pessoa? Ou podemos trair apenas com pensamentos ou atitudes que prejudicam o outro ainda que não impliquem envolvimento sexual?

Traição e confiança são duas faces de uma mesma moeda. Trair significa abusar da confiança do outro e por isso enganá-lo.

A questão é onde está o limite entre o que pode ser considerado traição ou não?

Mandar mensagens atrevidas no Facebook é trair? Imaginar que se vai para a cama com o vizinho do lado que é um borracho mas por acaso até é casado e têm filhos é trair? E aqui sublinho a palavra IMAGINAR, não é concretizar, é só imaginar.

Sair para tomar café com aquele amigo que parece querer mais do que ser só amigo, que nos manda piropos e nos agarra na mão a cada oportunidade é trair? Ou é só um preliminar para o que pode vir a tornar-se uma traição?

Insinuar-se a um amigo do namorado só porque o achamos giro e interessante é um primeiro passo para uma traição?

E andar nos sites de relacionamentos como o Second Love ou no Tinder é trair verdadeiramente ou é só traição virtual?

É que conversar com outros, mandar mensagens com elogios e promessas de futuros encontros é o ponto de partida para um envolvimento físico que não deixa margens para dúvidas sobre uma traição efetiva.

Mas para mim a traição não começa no envolvimento com alguém, começa muito antes, quando se abusa da confiança do nosso par. Quando se pensa em ter algo com uma pessoa que não a que está ao nosso lado. Não e não estou a condenar isso! Quem sou eu para julgar!  Se tal acontece não é por acaso.

Só desejamos o que não temos, quando o que temos já não nos satisfaz plenamente. E esta ideia aplica-se mais às mulheres. Porque os homens traem mais por motivos por vezes alheios ao casal – como a autoestima, virilidade, imaturidade. Mais para mostrarem que são machos e que deixam todas caidinhas por eles.

Claro que também há mulheres assim, mas a maioria trai por vingança de já ter sido traída ou por insatisfação com o que tem.

Acreditam muitas vezes que uma traição pode ser o passaporte para uma nova viagem nas suas vidas. Se traírem e se for bom, talvez consigam acabar com a relação que tem e que já não as satisfaz.

É como que uma pilula da coragem para se lançarem em novos voos.

O problema é que começar da forma errada pode ter consequências futuras. Porque quem trai tem medo de um dia também vir a ser traído, e viver com essa insegurança impede uma relação de ser plena.

As ideias referidas acima devem ser tidas em consideração quando estamos numa relação que já não nos satisfaz. Não será melhor acabar com ela e depois então partir para novos voos?

Uma traição começa quando nos começamos a enganar a nós mesmos!